jusbrasil.com.br
19 de Outubro de 2019
    Adicione tópicos

    MPF consegue alojamento para indígena em acompanhamento de cirurgia

    Atuação extrajudicial do MPF permitirá que indígena seja acompanhada pelo esposo em cirurgia

    Ministério Público Federal
    há 6 anos

    A indígena Rupenegu Arepo Txicao, da etnia ikpeng, foi transferida na tarde desta quarta-feira, 17 de abril, da Casa de Saúde Índigena (Casai) de Sinop para a Universidade Federal do Estado de São Paulo (Unifesp), onde será submetida a uma cirurgia toráxica de urgência. O esposo dela, Mekirinpo Ikpeng, também será recebido pela universidade para acompanhar a indígena durante o procedimento cirúrgico.

    O recebimento do esposo da paciente pela Unifesp é fruto de uma atuação extrajudicial do Ministério Público Federal em Sinop (MT) e São Paulo (SP), que intervieram após Mekirinpo Ikpeng relatar a situação do casal à unidade do MPF no município matogrossense.

    Com tuberculose e empiema pleural, a indígena estava internada na Casai de Sinop aguardando, desde novembro de 2012, transferência para a Casai de SP que se recusava a receber Mekirinpo Ikpeng, devido à falta de vagas e ao processo de mudança da unidade.

    Mas de acordo com o procurador da República lotado em Sinop, Adriano Barros Fernandes, por se tratar de um procedimento de risco com possibilidade de morte, é imprescindível que a paciente seja acompanhada pelo esposo durante a cirurgia.

    Por isso, com o objetivo de assegurar que o esposo da indígena a acompanhasse na cirurgia, o MPF em Sinop fez contatos com a procuradora da República Adriana da Silva Fernandes e com o Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI) Litoral Sul, que conseguiram o acolhimento da paciente pela Casai-SP e do acompanhante pela Unifesp no último dia 12 de abril.

    Unifesp A Universidade Federal do Estado de São Paulo é um hospital de referência no atendimento a indígenas e conta com o Ambulatório do Índio. O ambulatório busca valorizar os aspectos culturais envolvidos na determinação das doenças e minimizar os impactos da peregrinação diagnóstica e terapêutica a que são submetidos os pacientes indígenas.

    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)